Crônicas Arquivo – Página 3 de 22 – Heron Cid

Crônicas

21 de março de 2023

Em meu peito Catolaico (Por Heron Cid)

De mãos dadas com dona Marizete, senti pela primeira vez a atmosfera da cidade. Arborizadas e de paisagens verdes em pleno sertão árido, as ruas de Catolé do Rocha ficaram nas paredes da minha memória desde os nove anos... Ler mais

15 de março de 2023

Mário Tourinho, o sentinela da cidade (Por Heron Cid)

João Pessoa tinha em Mário Tourinho um cidadão vigilante. Em artigos na imprensa, em debates na mídia ou mesmo nas conversas em ambientes sociais, da boca dele sempre saía, além de boa prosa, pauta de assuntos do cotidiano da... Ler mais

14 de março de 2023

Cozinho, o diminutivo que se fez grande em Sousa

Nicodemos de Paiva Gadelha. O nome pomposo de batismo foi simplificado pelo carinho que Sousa lhe devotava. ‘Cozinho’ era como o dono do apelido, singelo por natureza, acessível para todos. O médico humano, o político carismático, o gestor sensível... Ler mais

11 de fevereiro de 2023

O paraíso (Por Kubitsheck Pinheiro)

Desde garoto que sou casado com os livros. O hábito vem de meu pai.     A noção que Jorge Luís Borges (foto) tinha do paraíso era uma biblioteca. Caetano Veloso canta no disco “Livro” 1998, que quase não tinha... Ler mais

03 de fevereiro de 2023

Glória à Maria (Por Heron Cid)

Qualquer um de nós tinha dela alguma reportagem que ficou na memória, uma cobertura que ficou para história, uma entrevista para não esquecer ou uma aventura de tirar o fôlego. Glória Maria foi uma repórter na essência, uma vitoriosa... Ler mais

22 de janeiro de 2023

Brasil Yanomami (A Crônica de Domingo)

Ouviram das torres de concreto um pedido de socorro, minguado do meio da selva. As pegadas do garimpo devorando vidas, sugando penumbras do que um dia foram homens, mulheres, caciques e guerreiros. Os dentes da fera-fome espumando diante de... Ler mais

16 de janeiro de 2023

De volta pra casa (Por Heron Cid)

Nem tive tempo de me despedir. O leitor tem direito de reclamar, como fez João Silva, na famosa canção gravada por Luiz Gonzaga. Até tentei, mas não consegui. O turbilhão do antes e depois do dia 29 de junho... Ler mais

13 de junho de 2022

Um blogueiro nas horas vagas (Por Heron Cid)

Blog é labor que exige jornada integral. De política, muito mais. Na Paraíba, nem se fala. Aqui, nas nossas terras, a matéria tem estoque em abundância. Nos últimos 30 dias, pelo menos, atividades pessoais e empresariais, somadas às longas... Ler mais

13 de maio de 2022

A despedida de um amigo que descansou da batalha

Antônio de Pádua Lucena de Oliveira, 67 anos, e sua família, me acolheram num dos momentos de grande adversidade. Um gesto solidário do qual nunca esqueci e guardei do lado esquerdo do peito. Pai amoroso e protetor de minha... Ler mais