Crônicas

30 de janeiro de 2021

Como não amar Brasília! (por Magno Martins)

Ficar hospedado às margens do Lago Paranoá, em Brasília, faz bem ao ego e ao espírito. Amo a corte e suas paisagens lindas, como morro de paixão por outras duas cidades da minha vida, Afogados da Ingazeira e Recife.... Ler mais

30 de janeiro de 2021

Novo ensaio da cegueira (por Kubitsheck Pinheiro)

Nova York, 1870. Gostei  de rever “A Época da Inocência”, (1993), de Martin Scorsese, (foto)  depois de ouvir trechos de uma palestra de Marcelo Backes,  sobre o tema, que uma amiga me enviou. Não me lembrava ou talvez, no... Ler mais

28 de janeiro de 2021

O infalível arquivo de Roberto Cavalcanti

Sou daqueles que não consegue lembrar bem nem o número do próprio endereço. A placa do carro pior. Graças a Deus, guardei no juízo o CPF, de tanta e recorrente precisão. Começo de manhã, o telefone toca. Do outro... Ler mais

23 de janeiro de 2021

Poema e pedagogia (por Hildeberto Barbosa Filho)

Sempre acreditei na dimensão lúdica da relação ensino-aprendizagem. A sala de aula, para além das amarras das quatro paredes e dos compromissos da disciplina, constitui também uma esfera possível para o prazer. E o prazer é pedagógico, infinitamente pedagógico.... Ler mais

23 de janeiro de 2021

Os vários fusos confusos (por Kubitschek Pinheiro)

Não resta dúvida, todos os gatos não são lebres. Prefeitos passam na frente dos direitos dos outros e tomam a vacina, com fome canina. Aqui na Paraíba, em Pombal, em todo Brasil, escambau. As fábricas de mentiras e as... Ler mais

17 de janeiro de 2021

Mônica e Jéssica, essa brava gente brasileira

A cada plantão de doze horas, em dias alternados, Mônica Calazans entrava de frente a uma roleta russa no Instituto Emílio Ribas, destino de pacientes graves da covid-19, em São Paulo. Obesa, hipertensa e diabética, a enfermeira de 54... Ler mais

17 de janeiro de 2021

Sou o maestro do meu caçula (por Magno Martins)

A princípio, eu só publicaria esse texto nas minhas redes sociais por ser algo bastante pessoal, mas devido à grande repercussão e o envio de uma canção tão bonita pela jornalista Andreza Matais, de Brasília, resolvi publicar no blog... Ler mais

17 de janeiro de 2021

Que fizeste da vida? (por Hildeberto Barbosa Filho)

Era a pergunta que João Condé ( foto com Guimarães Rosa) fazia a seus pares, nos “Arquivos Implacáveis”, publicados na velha revista O Cruzeiro. Fosse-me dada a possibilidade de respondê-la, eu diria: – Brinquei de curral de boi de... Ler mais

error: Conteúdo Protegido !!