Opinião

Dilma na vice de Lula

14 de outubro de 2021 às 10h27
Dilma e Lula, a chapa que lavaria a honra do PT em 2022

Com sua provocação no twitter, o presidenciável Ciro Gomes (PDT) abriu uma excelente oportunidade prática para o PT desagravar a ex-presidente Dilma Roussef (PT).

Impichada no segundo mandato, Dilma foi tratada como mártir por setores da esquerda. Em 2022, a grande chance de reparar o sacrifício.

Se o PT não tem vergonha do legado gerencial de Dilma e – ao contrário de Ciro – crê plenamente na capacidade política dela, no seu tino administrativo, e na injustiça sofrida, nada mais correto e leal do que achar um espaço político para honrar seu grande quadro e legado.

Que tal Dilma de vice?

Com chapa pura, Lula teria a ex-presidente no guia eleitoral, relembrando as façanhas de seu governo, o PT ficaria desimpedido de alianças utilitárias, deixaria de ser refém dos “golpistas”, como o MDB, e teria uma vice de absoluta e irrestrita confiança no Planalto.

Em sendo eleito, Lula ainda contaria com o benefício de pode fazer livremente o que mais gosta – política, enquanto Dilma com sua peculiar competência cuidaria da gestão da economia, da infraestrutura, da recuperação do emprego e botaria moral em estatais, como a Petrobrás, segurando, quem sabe, o preço da gasolina.

Tudo que ela já mostrou que sabe fazer.

O Brasil contaria ao seu serviço com a experiência de dois ex-presidentes, profundamente alinhados, sem riscos de choques ou conspiratas.

A chapa perfeita. Um presidente que domina as massas e faz exímia articulação política e uma vice com reconhecidas atribuições gerenciais e inteligentes sacadas e frases de efeito, suas duas grandes expertises.

Ao povo seria ofertado o histórico e indelével direito de, definitivamente, julgar a ambos de uma só vez.

Pauta para o próximo Congresso do PT.

Comentários