Crônicas

Mulheres (Por Hildeberto Barbosa Filho)

4 de setembro de 2021 às 11h08

Existem

as hegelianas.

São raras

como a verdade

filosófica.

As que só leem

Montaigne

e gozam depressa,

com tédio

e sem viagens.

Não gosto muito

das que dormem

com Nietzsche

e só amam

o super-homem,

certas de que Deus

está morto.

As piores

citam Platão

e fazem carícia

com os dedos

do idealismo.

Outras

são frígidas

como Kant,

impenetráveis

e absolutas

como o imperativo

categórico.

As que leram Freud

não sabem nada.

Tudo para elas

é pai ou mãe,

o falo e a fala,

como um beco

sem saída.

Melhores

são as sartreanas

diante do ser

e do nada.

As que pensam

serem belas e livres.

Qual delas

Vai ficar comigo?

Sou

um homem simples,

não conheço essa gente.

Apenas

gosto de mulher.

Gosto

das que se dão,

sem a camisola

da sabedoria.

Gosto

das que dão

de graça,

com a graça de Deus,

e toda vez

é a primeira.

(Poema do livro inédito … e nada aconteceu comigo)

MaisPB

Comentários