Crônicas

Aos seus pés aos 99 anos (por Magno Martins)

22 de abril de 2021 às 11h17

Papai Gastão, meu velho amado, amigo e conselheiro está completando 99 anos no próximo domingo. Morto de saudade, já estou em Afogados da Ingazeira desde ontem. Peguei carona no feriado de Tiradentes, arrumei as malas, botei Magno Martins Filho e João Pedro na comitiva e sai em disparada rumo ao Sertão do Pajeú, fonte de inspiração, pedaço de chão seco que beijo feito o Papa na chegada a um novo território espiritual.

Dos nove filhos, apenas seis estarão paparicando ele bem muito, como manda a Bíblia. Honra teu pai e tua mãe, ordena Deus soprando sabedoria lá do infinito celestial. Ouça o seu pai, que o gerou, admoesta.

Sou temente a Deus, assim me comporto. Também estarão de joelhos dobrados em adoração ao velho, contemplando a sua face enrugada, pegando na sua mão quente e beijando a sua face meus irmãos Tarso, o primogênito; Marcelo, que mora em Serra Talhada; Augusto, secretário de Cultura em Afogados; e Gastão Filho, topógrafo, também residente em Afogados.

Das filhas, infelizmente apenas Ana, a mais carinhosa, a mais dedicada, a mais presente, estará ao seu lado nos seus 99 anos. Na festa dos 90 anos, organizada por mim, os nove filhos se curvaram aos ensinamentos bíblicos. Num louvor coletivo, proporcionaram a ele uma festa inesquecível, com direito ao chamamento da sociedade afogadense para bebemorar ao som da Super Oara, do meu amigo Beto. Bebemos, comemos e dançamos até o raiar do dia.

Foi uma festa inesquecível. Que o digam meus convidados: Eduardo Monteiro, Américo Lopes, Luiz Piauhylino, Branca Goes, Júlio Lossio, o colunista João Alberto, Tonheca, este irmão de José Maria Sultanum, da pousada em Noronha e Carlos Laerte. Um pai vale mais do que uma centena de mestres-escola. Pense no filho que você quer para você! Ele só será bom se você for o melhor pai que uma criança pode ter.

Papai é o melhor pai do mundo, uma figura adorável e cativante. Louco de paixão pelos filhos. A ele, o meu carinho. Ao melhor pai do mundo, fico de joelhos. Com ele, aprendi a amar, porque fui muito amado. Com ele, aprendi que, além de educar bem, somos obrigados a dar exemplo de um bom filho.

Te amo muito, minha baraúna! Um amor sem limites, como cantou Roberto Carlos para sua Maria Rita.

Blog do Magno

Comentários

error: Conteúdo Protegido !!