Bastidores

A consolidação da nova liderança tecida em São Bento

25 de novembro de 2020 às 19h58

Em 2016, 47 votos apenas separaram Jarques Lúcio (Cidadania), noviço na política, do então prefeito Gemilton Souza, na eleição de São Bento. Nem precisa dizer que foi disputadíssima.

Quatro anos depois, o saldo das urnas trouxe outro panorama.

Jarques, que passou de uma promessa para o teste de gestor e todos os problemas e desgastes que isso implica, venceu a maior liderança da oposição, Galego Souza (PP).

Não mais um terceiro. Não mais um indicado. Não mais um aliado.

Na urna, a vitória apertada de 2016 deu lugar a uma vitória expressiva, a julgar pelos padrões acirrados da cidade, com 1.377 votos de maioria.

Um triunfo sobre um deputado de mandato, ex-prefeito duas vezes de gestões exitosas e até então virgem de derrotas eleitorais.

O resultado desequilibrou a rede eleitoral e escreveu, nas suas varandas, o nome da mais nova maior liderança de São Bento, altivo município sertanejo de seus 33 mil habitantes.

Um cordão trançado e tecido à mão no fio de 11.988 eleitores tem força, porque agora está batido no tear de consolidada maioria.

*Jarques Lúcio (Cidadania) foi o entrevistado do programa Hora H, na série das entrevistas com os eleitos do último dia 15 de novembro.

Comentários

error: Conteúdo Protegido !!