Opinião

Genival, o ‘construtor de amizades’

20 de julho de 2020 às 10h25 Por Heron Cid

Um construtor de amizades. A expressão que saiu da boca do irmão, Bevilacqua Matias, sintetiza com singularidade o perfil do deputado estadual Genival Matias, de quem a Paraíba se despede, precocemente.

O seu colega de parlamento, Wilson Filho, acrescentou durante velório nesta manhã na Assembleia Legislativa: “Era o deputado que tinha mais amigos na Casa”.

Os dois expressaram o que a maioria dos parlamentares sequer conseguiu balbuciar, comovida e chocada com o súbito que arrebatou Matias da convivência amistosa, peculiar ao seu estilo pessoal e a sua marca política de somar relações, em vez de separar estradas.

Genival era isso mesmo. Um articulador nato. Trouxe do seu Juazeirinho esse espírito forjado no semiárido da vida e guardava na memória gratidão ao ex-governador Wilson Braga, a quem legava a oportunidade de crescimento empresarial pela porta profissional aberta na fundação do Tocantins.

Discreto, vacinado de arroubos em tribuna, era de edificar pontes na articulação política, um traço tão presente no seu itinerário que lhe fez construir, organizar e capilarizar um partido relevante sob sua condução, o PTdoB, atual Avante.

A aptidão de trabalhar pontes foi decisiva em momentos emblemáticos da Assembleia Legislativa. A digital de Genival está presente em todo o processo que culminou com a eleição e reeleição antecipada de Adriano Galdino no comando do Legislativo Estadual.

Conciliador por excelência, concebeu e gestou o que ficou convencionado como G11, batizado aqui neste espaço de grupo paragovernista na Assembleia Legislativa, um bancada à parte no plenário José Mariz.

A capacidade de ajuntar estava para desembocar em seu novo projeto político. A poucos, Matias confidenciava o desejo de disputar uma vaga na Câmara Federal. Condicionava-a, todavia, ao projeto do amigo Adriano Galdino, baliza de lealdade do que decidiria seu caminho em 2022.

Não deu tempo.

Comentários