Emprego de longa duração é a cadeia... Por Paulo Henrique Amorim – Heron Cid
Bastidores

Emprego de longa duração é a cadeia… Por Paulo Henrique Amorim

26 de fevereiro de 2018 às 09h39
Foto de exempla e manchete do Valor Econômico

A manchete do PiG cheiroso mostra que cinco milhões de brasileiros buscam emprego há mais de um ano.

No governo dos canalhas e canalhas houve um aumento de 130%!

Um colosso, diria a Cegonhóloga!

Outro PiG menos cheiroso, a Fel-lha mostra que as cadeias do Rio desafiam a IntervenssãoTabajara, essa que terá ainda que prestar contas do fracasso na Maré.

A superlotação é campo fértil para a disseminação da tuberculose e da sarna.

O que uma manchete tem a ver com a outra, amigo navegante?

É a logica do sistema do Paulo Guedes, esse banqueiro que se faz de economista para atrair clientes à custa do Bolsonaro.

Os desempregados estão desempregados porque querem, como dizem os neolibelistas de Chicago, como o tal banqueiro.

E, como não acham emprego mesmo, preferem se recolher aos presídios, onde têm cama e mesa, roupa lavada – e tuberculose.

É assim que funciona o tal do neolibelismo dos açougueiros.

Num país onde 26 milhões não acham trabalho e só homens brancos conseguem emprego com carteira, a superlotação carcerária é a “solução final” do sistema.

Em tempo: o significado de “intervenssão” e “Intervenção Tabajara” se encontra no imperdível ABC do C Af.

Conversa Afiada

Comentários