Bastidores

Procurador-geral de Justiça pede apuração de agressão e ameaça contra repórter

25 de outubro de 2017 às 17h50
Francisco Seráphico ressalta respeito institucional pela independência funcional dos envolvidos no processo

O procurador-geral de Justiça da Paraíba, Francisco Seráphico, emitiu uma nota na tarde desta quarta-feira (25) informando que o policial civil que ameaçou o repórter do Portal MaisPB, Albemar Santos, não faz parte dos quadros do Ministério Público da Paraíba, mesmo assim irá encaminhar um ofício ao delegado-geral da Paraíba, solicitando a apuração dos fatos.

Confira a nota:

O policial civil que sacou uma arma para um profissional da imprensa, na tarde desta quarta-feira (25), no estacionamento do prédio do Núcleo Criminal do Ministério Público, na Capital, não presta serviço ao MPPB. Mesmo assim, o procurador-geral de Justiça, Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega Filho, afirmou que vai encaminhar um ofício ao delegado-geral, requisitando a devida apuração dos fatos.

Ao ter conhecimento do fato, imediatamente, o PGJ pediu à Assessoria Militar do MPPB que apurasse a situação. A assessoria levantou, inicialmente, que se tratava de um policial civil que foi entregar documentação no Núcleo Criminal do MPP e que teve dificuldade de acesso ao prédio, por causa da aglomeração de profissionais da imprensa, que aguardavam o final de um depoimento no local. Houve um desentendimento entre o PC e um repórter, e o policial sacou uma arma. Após o fato, o policial teve acesso ao prédio, entregou a documentação e saiu do local.

O procurador-geral também recomendou à sua Assessoria Militar que fizesse a identificação do policial civil que protagonizou o fato e que reunisse informações e imagens gravadas por pessoas que estavam no local, para que fossem encaminhadas à Polícia Civil.

Comentários