A culpa é do Supremo. Por José Roberto de Toledo – Heron Cid
Bastidores

A culpa é do Supremo. Por José Roberto de Toledo

14 de agosto de 2017 às 16h38

Sempre que deputados se metem a fazer uma reforma, os demais brasileiros pagam pelo que eles obram.

O orçamento estoura, o transtorno demora mais do que o previsto e, ao final, descobre-se que consertaram o que não estava quebrado.

O sistema político tem muitos defeitos, mas o voto proporcional para a Câmara não é um deles.

Aí Temer e Eduardo Cunha importaram o modelo eleitoral de Vanuatu, o resto assentiu e, se não protestarem, os donos da casa vão acabar pagando por uma reforma que não encomendaram.

A crise de representação da política brasileira não tem nada a ver com a reforma que o Congresso está tentando aprovar. Nunca se viu um cartaz na rua clamando “Pelo distritão”.

A culpa não é do voto proporcional, mas do sistema de incentivos à proliferação de partidos fisiológicos de um dono só. Dinheiro de graça, tempo para fazer propaganda na TV e falta de controle.

Comentários