Opinião

04 de janeiro de 2021

A irresponsabilidade da divisão (por Cristovam Buarque)

O presidente eleito em 2018 surpreende sempre para pior. Nesta semana, foi o deboche para se referir à tortura sofrida por sua antecessora, a presidente Dilma Rousseff, quando jovem militante contra a ditadura. Só este gesto demonstra sua psicologia... Ler mais

04 de janeiro de 2021

Baleia, o candidato do PT (por Ricardo Noblat)

2021 começará mal para o presidente Jair Bolsonaro caso o PT, logo mais à tarde, confirme seu apoio a Baleia Rossi (MDB-SP), candidato a suceder Rodrigo Maia (DEM-RJ) na presidência da Câmara dos Deputados a partir de 1º de... Ler mais

03 de janeiro de 2021

O invejoso (por Francisco Leite)

“A inveja é como beber veneno e esperar que a outra pessoa morra” (Carrie Fischer). Se há um tipinho asqueroso de gente, esse bichinho amargurado é o invejoso. Ele nada cria, nem copia, nem transforma. É um ser rabugento... Ler mais

30 de dezembro de 2020

O novo eixo

A expressão é do deputado Aguinaldo Ribeiro. Um “novo eixo” é o que ele batizou para se referir ao produto das alianças políticas de 2020 na Paraíba. De fato, o saldo político das eleições municipais aqui redefiniu a geografia... Ler mais

30 de dezembro de 2020

Lula namora na ilha que ama (por Augusto Nunes)

Em 1º de janeiro de 1961, quando os guerrilheiros vitoriosos entraram na capital de Cuba, havia uma ditadura a desmontar, prostitutas demais em Havana e uma economia dependente da cana-de-açúcar. Passados 61 anos, há em Cuba uma ditadura comunista... Ler mais

30 de dezembro de 2020

A tempestade perfeita (por Ricardo Noblata)

Se for o que resta para mostrar a que ponto chegou Bolsonaro, compare-se o seu comportamento com relação à vacinação em massa contra o vírus com o comportamento dos governantes mais autoritários do mundo, todos, como ele, de extrema-direita.... Ler mais

27 de dezembro de 2020

Ano que vem (por Dora Kramer)

Nos últimos acordes deste ano atípico o senso comum lança em toda parte um sonoro “já vai tarde” a 2020, tentando semear a esperança de que em 2021 será tudo melhor. Que será, será, mas não necessariamente muito diferente,... Ler mais

24 de dezembro de 2020

Apenas um gole de sensatez

A pandemia reorientou prioridades. De empresas, instituições, organizações, famílias e indivíduos. Todos, sem exceção, precisaram reordenar a vida, o trabalho, o lazer. Não sem razão. A vida, acima de qualquer outra lógica, tem seu lugar no topo da aventura... Ler mais